Teosofia e Fraternidade Universal (1): Índice da Obra, Sumário das Citações, Prefácio e Introdução

Teosofia e Fraternidade Universal (Elementos Decisivos da Glória ou do Fracasso da Soc. Teosófica). Arnaldo Sisson Filho, Brasília, 2009. (Segunda edição, com pequena revisão, publicada inicialmente no Site Anna Kingsford. A primeira edição, publicada pelo autor, é de 1994)

Informação: Texto da obra completa, em português, nesse site e no Site Anna Kingsford. Nesse site a obra está distribuída em em 18 postagens, de acordo com seus capítulos.


TEOSOFIA E FRATERNIDADE UNIVERSAL

(Elementos Decisivos da Glória ou do Fracasso da Soc. Teosófica)


Autor: Arnaldo Sisson Filho

Título original: TEOSOFIA E FRATERNIDADE UNIVERSAL: a Glória e a Miséria da Sociedade Teosófica
Edição original, publicada pelo autor: 1994
Edição revisada para o Site Anna Kingsford: 2009


1 – “Nunca vemos um alerta amigável como uma “ameaça”, nem nos sentimos irritados quando ele nos é oferecido.” (M., The Mahatma Letters to A.P. Sinnett, n. 29, p. 222)

2 – “Julgamos conhecer mais acerca da causa secreta dos eventos do que vocês homens do mundo. Digo, então, que é a calúnia e a ofensa aos fundadores, e a má compreensão generalizada das metas e objetivos da Sociedade que paralisam o seu progresso – nada mais. Não há nenhuma necessidade de maior definição nesses objetivos, desde que eles sejam tão somente explicados de forma apropriada.” (M., The Mahatma Letters to A.P. Sinnett, n. 38, p. 251; grifo nosso)


LISTA DE ABREVIAÇÕES

CW: H.P. Blavatsky Collected Writings
HPB:
Helena Petrovna Blavatsky
K.H.: Mestre Kuthumi (Koot Hoomi)
LMW: Letters from the Masters of the Wisdom
M.
: Mestre Morya
ML: The Mahatma Letters to A.P. Sinnett
ST
: Sociedade Teosófica


ÍNDICE

SUMÁRIO DAS CITAÇÕES – POR AUTOR, CAPÍTULO E ORDEM

PREFÁCIO

I – INTRODUÇÃO
A Tese Central da Obra
O Plano Geral da Obra
O Caráter Experimental da Tese Defendida

II – A FUNDAÇÃO DA SOC. TEOSÓFICA E A INFLUÊNCIA DOS MAHATMAS
Helena Petrovna Blavatsky
A Influência dos Mahatmas

III – A TEOSOFIA E O NOME DA SOCIEDADE TEOSÓFICA
A Escolha do Nome da Soc. Teosófica
Teosofia É Altruísmo
Mero Conhecimento Intelectual Não É Teosofia
O Problema da Teosofia Conceituada Como uma Doutrina
Teosofia É Sabedoria, É Iluminação
“Sociedade Teosófica” Significa “Sociedade Altruísta”

IV – O LEMA DA SOCIEDADE TEOSÓFICA
O Lema da ST: um Exemplo de Má Tradução
“Não Há Dharma (Doutrina) Superior à Verdade”
Lema: uma Seta Apontando Para a Realização da Teosofia

V – A TEOSOFIA E A FRATERNIDADE UNIVERSAL
O Caráter Altruísta da ST e Seus Três Objetivos
Fraternidade Universal: Ideia e Objetivo Fundamentais
Implicações Práticas da Fraternidade Para o Mundo
A Má Compreensão Generalizada dos Objetivos da ST
Os Adeptos (a Teosofia) e a Importância da Fraternidade

A Unidade Essencial de Toda a Humanidade
Princípios Básicos da Filosofia Perene
A Fraternidade Universal à Luz da Filosofia Perene
A Fraternidade Universal e o Bem Estar da Humanidade
A Unidade Subjacente e a Lei da Fraternidade Universal

A Diversidade de Capacidades Manifestadas
A Constituição Interna do Homem
A Evolução do Eu Superior do Homem
O Corpo Causal: O Único Registro Verdadeiro da Evolução
A Diversidade Aplicada à Organização Social
A Importância da Lei da Reencarnação
A Unidade nas Grandes Religiões
A Diversidade nas Grandes Religiões

O Atual Nível de Evolução da Humanidade
Pressupostos Falsos Levam a Conclusões Falsas
O Atual Estágio Evolutivo da Humanidade
Apenas Pequena Minoria Está Egoicamente Amadurecida
O Papel Determinante e a Responsabilidade das Elites
Outras Citações sobre o Nível Evolutivo da Humanidade
A Evolução do Eu Superior É um Processo Muito Lento
A Necessidade de uma Grande Reforma Intelectual
A Negação da Lei da Fraternidade Está na Base dos Problemas
A Negação da Lei da Fraternidade e a Necessidade de Reformas
Leis Universais em Contraposição a um Deus Pessoal
A Fraternidade como uma Lei e as Ideias Dominantes
A Fraternidade Universal É uma Lei, Não uma Aspiração
A Lei da Fraternidade É Mal Compreendida Também na ST
A Falta de um Plano Geral Coerente com a Lei da Fraternidade
As Correntes de Pensamento Religioso Perderam Terreno
Os Deuses da Época: a Força, a Ganância e o Acaso
As Correntes Hoje Dominantes: Liberalismo e Marxismo
As Premissas e as Instituições Centrais do Liberalismo
A Premissa Fundamental: Todo Homem é Lobo do Homem
A Ordem de Contrapesos (Equilíbrio Mecânico de Forças)
A Democracia Liberal Atual e o Sufrágio de Massa
O Igualitarismo num Padrão de Homem Sempre Egoísta
A Crença no Fim das Ideologias
A Filosofia Perene e a Visão de Homem do Liberalismo
A Lei da Fraternidade Não Significa Igualdade de Capacidades
Sem a Diversidade de Capacidades Não Há Lei da Fraternidade
A Importância de um Novo Modelo Organizacional na ST
As Premissas e as Instituições Centrais do Marxismo
Premissa: Consciência é Resultante de Forças Materiais
O Igualitarismo na Visão de Homem do Marxismo
A Filosofia Perene e as Premissas do Marxismo
Um Modelo Sem Liberdade, Geralmente de Partido Único
As Falhas dos Modelos Políticos Atuais
A Importância dos Modelos de Organização do Poder
Crítica dos Modelos Políticos Depende da Lei da Fraternidade
As Funções de um Sistema Político
Os Requisitos de um Processo de Escolha Competente
Fracasso do Modelo Liberal: Má Escolha dos Dirigentes
Fracasso do Modelo Liberal: Debilidade Inerente
Fracasso do Modelo Marxista: Falta de Liberdade
Fracasso do Modelo Marxista: Oportunidades Desiguais
Os Modelos Políticos Atuais e a Geração da Miséria
Os Grandes Problemas Mundiais
A Rota de Colisão da Modernização
A Impotência dos Modelos Atuais Frente à Modernização
O Exemplo da Destruição da Floresta Amazônica
Origens do Subdesenvolvimento: Exploração Colonialista
A Importância da Industrialização
As Ilusões da “Livre” Competição Internacional
O Significado de “Dar Certo” Internacionalmente
A Necessidade de um Modelo para o Bem Estar de Todos
Primeiro Objetivo como Exemplo de Solução Consistente
Modelo de Organização Coerente com a Filosofia Perene
O Novo Modelo em Comparação com os Atuais
A ST Deveria Ser um Exemplo das “Novas Instituições”
O Que os Mahatmas Esperavam da ST
“Má Compreensão Generalizada dos Objetivos e Metas”
O Exemplo Nocivo da Atual Organização da Soc. Teosófica
O Novo Modelo Organizacional da ST no Brasil
O Exemplo que a ST Deveria Dar, Mas Não Dá
Allan O. Hume e o Plano Original dos Mahatmas
A Importância de um Novo “Plano Geral e Administração Externa”
O Segundo Objetivo da Sociedade Teosófica
Primeiro Objetivo Conferiria o Direito Moral de Ensinar
Segundo Objetivo: Forma Apropriada para a Difusão
Método Comparativo: do Conhecido Para o Desconhecido
Método Comparativo: Necessidade de Difusão Cautelosa
O Terceiro Objetivo da Sociedade Teosófica
Terceiro Objetivo: Uma Verdadeira Regeneração da Psique
A Realização da Verdade Interna: Um Objetivo Decisivo
A Realização da Verdade Interna: Um Objetivo Restrito
A Genuína Regeneração da Psique É Para Poucos
Hipótese Para a Falta de Sucesso no Terceiro Objetivo
Um Núcleo da Lei da Fraternidade: Condição Sine Qua Non
Com Compreensão do Externo Inicia o Movimento Interno

XVIII – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DAS OBRAS CITADAS


SUMÁRIO DAS CITAÇÕES – POR AUTOR, CAPÍTULO E ORDEM

Adepto 8.93: missão Teosofia: elaborar claras ideias éticas e de deveres, e moldagem em formas de vida diária
Adepto 9.116: missão Teosofia: elaborar claras ideias éticas e de deveres, e moldagem em formas de vida diária
Adepto 10.128: vida social baseada em equilíbrio mecânico de poderes, deuses atuais são Força, Ganância e Acaso
Adepto 16.181: missão Teosofia elaborar claras ideias éticas e de deveres, e moldagem em formas vida diária
Adepto 17.201: missão da ST, trabalho árduo, leva progresso, sucesso nessa tarefa aproxima dos Mestres

Bacon 1.3: Seria algo insensato, em si mesmo contraditório, estimar poder ser realizado o que até aqui não se conseguiu fazer, salvo se se fizer uso de procedimentos ainda não tentados.
Besant 5.54: para Mestres, importante é viver e ensinar Fraternidade
Besant 7.60: das diferenças de idades surgem todas as possibilidades de uma Sociedade ordenada e feliz
Besant 8.98: fraternidade no Estado é dever e responsabilidade em sintonia com idade e capacidade, dessas diferenças todas as possibilidades de uma sociedade ordenada e feliz
Besant 10.119: fraternidade é uma Lei, não se tornará prática se não for vista como Lei ao invés de aspiração
Besant 10.120: fraternidade é uma Lei, é muito pouco conhecida
Besant 11.135: fraternidade não quer dizer igualdade, sistema baseado na igualdade obra de alucinados
Besant 11.136: almas são desiguais, igualdade de oportunidade é possível, não de capacidades, devemos estudar o problema de como colocar os melhores no poder
Besant 12.139: a liberdade não significa os ditames das multidões, nem paixões agitadas, nem ódio de classes
Besant 13.140: como encontrar os melhores, eis o problema, devemos compreender inutilidade dos atuais sistemas
Besant 13.142: devemos aplicar reencarnação e carma aos problemas sociais, fraternidade solução de muitos dos problemas
Besant 13.147: é o pensamento que constrói nações, aquilo que o pensador concebe é posto em prática na organização social
Besant 13.149: as questões locais todos podem compreender, não as questões nacionais e internacionais
Besant 13.150: reis atuais são Rei Multidão e Rei Dinheiro, o reinado de nenhum deles engrandecerá a nação
Besant 14.159: problema do momento é como encontrar o melhor homem, e então como colocá-lo no poder, sem isso nenhuma felicidade é possível para o Estado
Besant 14.160: inutilidade da atual maneira de governar deve ser compreendida, sem isto não há solução para o povo
Besant 16.178: fraternidade sob lei da reencarnação e do carma resolverá muitos dos problemas mundiais
Besant 17.202: somente crescem em espiritualidade aqueles a quem a infelicidade dos outros entristece
Bobbio 11.134: para Liberalismo clássico com igualdade de direitos não haveria tropeços para a felicidade
Budismo 7.76-77-78-79: citações sobre Diversidade
Burnier 9.107: grande reforma intelectual ainda por acontecer
Burnier 9.118: cita HPB sobre reforma intelectual, descreve mundo atual, afirma grande reforma intelectual ainda não ocorreu
Burnier 10.125: educação moderna erodiu fé nos princípios religiosos
Burnier 10.126: mandamentos religiosos enfraqueceram, há uma nova moralidade baseada na descrença de um propósito geral
Burnier 14.155: principais ameaças desastre ecológico e subdesenvolvimento

Codd 13.141: política mecanismo das reformas, carece de princípios universais de orientação, é supremo poder físico
Collins 4.29: princípio que dá a vida pode ser percebido
Collins 4.36: três verdades absolutas, esplendor sem limite
Confucionismo 7.80-81: citações sobre Diversidade
Cristianismo 7.65-66-67-68: citações sobre a Unidade
Cristianismo 7.82-83: citações sobre Diversidade

Damodar 3.21: ST impressão geral de seita religiosa
Damodar 17.198: impressão geral ST é uma seita, estudo do Ocultismo deve ser discreto, é para muito poucos
Duverger 13.151: estrutura organizacional dos partidos comunistas contribuiu mais do que doutrina marxista
Duverger 13.152: partido comunista notável eficácia organizacional, pode-se deplorar o uso, deve-se admirar a técnica

Guerreiro Ramos 14.156: problemas atuais são resultado da modernização, pedem reforma teórica de enorme magnitude

Hinduísmo 7.69-70: citações sobre a Unidade
Hinduísmo 7.84: citação sobre Diversidade
Hobbes 11.132: diferenças humanas são insignificantes
Hobbes 11.133: homens são muito semelhantes em capacidades intelectuais, uns não superam outros em astúcia
Hodson 6.55: Unidade fonte de todos homens, verdade suprema
Hodson 6.58: Unidade verdade suprema – todos são Um
Hodson 7.61: longa citação sobre realidade dos Eus Superiores
HPB 2.4: ordens recebidas da Índia para fundar ST
HPB 2.6: eu poderia produzir a mesma coisa à vontade
HPB 2.7: uma tentativa em consequência de ordens
HPB 2.8: ordens da Índia para estabelecer ST
HPB 3.9: Teosofia é Altruísmo, amor fraterno, etc.
HPB 3.11: sem verdade e justiça não há sabedoria
HPB 3.12: sabedoria e verdade são sinônimos
HPB 3.13: Teosofia é a Sabedoria “cheia de bons frutos”
HPB 3.14: Ocultismo ou Teosofia é a Grande Renúncia do eu
HPB 3.16: mero crescimento intelectual é frequentemente mais um impedimento do que um auxílio
HPB 3.24: bons atos = Teosofia, mera conversa = filosofia
HPB 3.25: Teosofia, Sabedoria possuída pelos deuses
HPB 3.26: Teosofia eleva mente mundo da forma para o sem forma
HPB 4.30: Dharma também significa doutrina, credo etc.
HPB 4.31: Dharma no lema significa religião ou lei
HPB 4.33: Idosos = Eu Superior, abundância de dias = reencarnações
HPB 4.34: Teosofia é natureza divina, é sol fixo eterna verdade
HPB 4.35: Escada de Ouro, galgar templo da Sabedoria Divina
HPB 5.37: objetivo fundamental ST Fraternidade de Teístas e Ateístas
HPB 5.38: meta geral ST é Fraternidade, outras menos proeminentes
HPB 5.51: ST antes de mais nada uma Fraternidade universal
HPB 5.52: Fraternidade Universal princípio pouco conhecido pelas massas e é essência do Budismo e do Cristianismo
HPB 5.53: ST visa difusão prática da Fraternidade, não teórica
HPB 7.64: negação reencarnação perniciosa e grande injúria a Deus
HPB 7.90: ST organizada sobre único princípio da Fraternidade
HPB 8.99: a humanidade é um bebê que mal saiu das fraldas
HPB 8.100: terceiro objetivo apenas para parte dos membros porque apenas pequena minoria tem habilidade para tal
HPB 8.101: na maioria há dura batalha entre egoísmo e altruísmo
HPB 8.102: poucos dispostos a colocar em prática altruísmo
HPB 8.103: nunca haverá mais do que pequena minoria devotada à tarefa de auto conquista e evolução espiritual
HPB 8.104: tempos mudam, natureza humana permanece a mesma
HPB 8.105: desenvolvimento das faculdades espirituais da humanidade é trabalho de eras
HPB 9.106: agora é o momento para grande reforma intelectual
HPB 9.110: nosso objetivo fundamental é a Fraternidade Universal
HPB 9.113: define importância decisiva dos líderes de pensamento
HPB 15.168: ST objetiva Fraternidade em bases práticas
HPB 15.169: membros devem atentar para condicionamentos e preconceitos inerentes a cada época
HPB 16.176: somente através do estudo comparado podem os homens esperar alcançar a verdade
HPB 16.182: somente Carma e Reencarnação evitarão materialismo
HPB 16.183: se Carma e Reencarnação (Esperança e Responsabilidade) forem difundidos, raiará dia da alegria para os que sofrem
HPB 16.190: Escola Neoplatônica de Alexandria, paradigma para ST
HPB 16.191: segundo objetivo visa reconciliar religiões e nações sob verdades eternas, importante regra de analogia
HPB 16.176 e 192: somente pela comparação sem preconceitos homens podem alcançar a verdade, atentar pontos concordantes
HPB 17.195: todos intentos parecidos ST fracassaram, somente vitalidade da verdade viva pode evitar novo fracasso
HPB 17.196: ST uma meta geral e outras não tão proeminentes, estudo ciência esotérica limitado a pequena parcela

I Ching 11.138: se o valor interno for o critério para a hierarquia externa, a tranquilidade reinará entre os homens e a sociedade encontrará ordem
IBOPE 13.146: dados de pesquisa sobre atuação dos políticos
Islamismo 7.71: citação sobre Unidade
Islamismo 7.85: citação sobre Diversidade

Jinarajadasa 5.39: certamente carta mais importante recebida
Jinarajadasa 7.59: Fraternidade é semelhante a uma família, com os mesmos pais, porém diferentes idades
Jinarajadasa 7.62: longa citação sobre fraternidade e diferenças
Jinarajadasa 17.204: nenhuma atenção condições de pobreza, aspiração realização espiritual voltada para compreensão princípios justiça, primeira aplicação Fraternidade: nunca poderei ser meu guardião antes de ser guardião de meu irmão
Judaísmo 7.72-73: citações sobre Unidade
Judaísmo 7.86-87: citações sobre Diversidade

K.H. 3.15: intelecto assimila mais facilmente o erro
K.H. 3.20: instituição conhecida que cative mentes mais elevadas
K.H. 5.43: verdades esotéricas grande importância prática para problemas humanos, devem gerar novas instituições fraternidade
K.H. 5.46: espalhar ST classes educadas precursora Fraternidade
K.H. 5.47: ideia mestra da ST é uma Fraternidade Universal
K.H. 5.48: plano geral e administração externa ligado com Fraternidade: é condição sine qua non para estudos esotéricos
K.H. 5.49: Fraternidade única fundação segura p/ moralidade universal
K.H. 6.56: Fraternidade única fundação segura p/ moralidade universal
K.H. 6.57: verdades ocultas dadas devido implicações práticas s/ assuntos humanos, devem ser construtivas de novas instituições
K.H. 8.97: descreve natureza humana em geral (preconceitos, etc.) como sendo a mesma que há um milhão de anos atrás
K.H. 9.108: humanidade em massa tem supremo clamor sobre nós
K.H. 9.111: ST tem ideia mestra de uma Fraternidade Universal
K.H. 9.114: ideias regem o mundo, impossível resistir sua força
K.H. 10.121: doutrina não inspira caridade aos desvalidos porque não é reconhecida como Lei, esse é o segredo do fracasso espiritual dessa época, ST como uma Fraternidade
K.H. 10.122: plano geral e administração externa ST relaciona-se com Fraternidade Universal, é condição sine qua non para os estudos esotéricos, ST como uma Fraternidade Universal
K.H. 10.123: Chefes querem instituição conhecida por todo mundo e que cative a atenção das mentes mais elevadas
K.H. 10.124: Filosofia Esotérica deve ser construtiva de novas instituições de uma genuína fraternidade da humanidade
K.H. 15.161: verdades esotéricas, grande importância prática para problemas humanos, devem gerar novas instituições fraternidade
K.H. 15.170: plano geral e administração externa ST relacionados com Fraternidade Universal, sine qua non para estudos esotéricos
K.H. 15.173: Sr. Hume, se persistir, Fundador de nova era social
K.H. 15.174: Sr. Hume incapaz compreender ST como Fraternidade Universal, e assim – dá as costas para ela
K.H. 15.175: Sr. Hume ex-amigo agora nas mãos Irmãos da Sombra
K.H. 16.177: Chefes querem uma instituição que seja uma real Fraternidade Universal, que seja conhecida por todo o mundo, e que cative mentes mais elevadas
K.H. 16.187: necessidade de adaptação aos estágios de desenvolvimento do ser humano e do país que ele habita
K.H. 16.188: doutrinas esotéricas são tônico muito poderoso que tanto pode matar quanto curar; cautela na sua difusão
K.H. 16.189: discrição é importante, preconceitos devem ser conquistados passo a passo, não de súbito
K.H. 17.199: Sinnett estava tão empolgado com Ocultismo que o misturou imprudentemente com a Fraternidade Universal
Keynes 10.127: temos que simular que injusto é justo, pois injusto é útil – avareza etc., têm que ser nossos deuses
Krishnamurti 17.193: com compreensão do externo, movimento interno tem início, somente então tem validade
Krishnamurti 17.205: com compreensão do externo, movimento interno tem início, a partir deste movimento surge generosidade e compaixão não produtos do raciocínio

Leadbeater 8.91: imensa maioria dos Egos são semiconscientes e ainda não compreendem leis da evolução
Leadbeater 8.94: longa citação sobre corpos causais, onde define proporções relativas dos níveis evolutivos
Leadbeater 8.95: trechos sobre evolução Egos (parte da 8.94)
Leadbeater 11.129: Democracia na forma atual é irracional e leva a confusão sem fim

M. 0.1: nunca vemos um alerta amigável como uma “ameaça”
M. 0.2: é a má compreensão generalizada dos objetivos e metas da ST que paralisa o seu progresso – nada mais
M. 3.17: Teosofia não é casa pintada, mas fortaleza inexpugnável
M. 5.44: sucesso dos fundadores não foi igual `às expectativas originais
M. 5.45: má compreensão generalizada dos objetivos paralisa ST, Teosofia pode ser fortaleza, fraternidade prática regeneradora
M. 15.171: somente Sr. Hume seria capaz de tornar ST agente permanente para o bem
M. 15.172: Sr. Hume pode beneficiar imensamente milhões de irmãos
M. 17.203: falham porque pregam demais sobre Mahatmas e muito pouco sobre Fraternidade, somente quem compreende Fraternidade prática regeneradora está apto para nossos segredos
Macpherson 8.92: sistema político exige coerência com as capacidades humanas, senão não merece defesa
Mahachohan 3.22: doutrinas esotéricas devem ter difusão gradual, sempre com inferências e corroboração da ciência
Mahachohan 3.27: Teosofia = Libertação e Iluminação
Mahachohan 5.40: sistemas fracassados, preocupação com pobres
Mahachohan 5.41: + sábia mescla alfa e ômega, triunfo da liberdade (reino de Satã), necessário Fraternidade suavizadora
Mahachohan 5.42: ST não deve abandonar denominação de Fraternidade
Mahachohan 8.96: papel decisivo das “classes intelectuais”
Mahachohan 9.109: verdadeira religião e filosofia oferece solução problemas, como questão liberdade e despotismo (etc.) ainda sem solução, oferecer soluções consistentes
Mahachohan 9.112: importância decisiva das classes intelectuais
Mahachohan 9.115: condição do mundo é evidência conclusiva de que religiões e filosofias estão longe da verdade
Mahachohan 9.117: sistemas políticos provaram-se um fracasso
Mahachohan 15.165: mescla mais sábia do alto e do baixo da sociedade foi determinada, em vista do triunfo da liberdade
Mahachohan 15.166: fracasso dos sistemas políticos atuais, teósofos devem se preocupar com sorte das classes baixas
Mahachohan 15.167: ST deve ser uma Fraternidade da Humanidade
Mahachohan 16.186: necessário difundir doutrinas de forma gradual, com inferências ciência exata moderna
Marcuse 14.153: fome e miséria só não acabam por causa da desorganização política do Planeta
Miller 3.18: Teosofia é sabedoria viva, mas há mutilação terrível
Miller 17.200: se regeneração tivesse ocorrido escala mais ampla, não seríamos considerados organização “morta”
Mosca 11.130: Leviatã remédio para “homo homini lupus”
Mosca 11.131: Locke parte do “homo homini lupus” e elabora quase completamente a teoria dos três poderes

Olcott 2.5: devo a HPB ter conhecido os Mestres
Olcott 3.10: na escolha do nome da ST, Teosofia = verdade esotérica

Sanat 3.19: quando a Teosofia é vista e apresentada como um ensinamento fixo, faz-se desserviço ao ensino esotérico
Schumacher 11.137: noção de “níveis de ser” é instrumento indispensável, ideias igualitárias do séc. XIX nos cegaram
Schumacher 14.154: aderir a ideias falsas leva a catástrofe
Sri Ram 4.32: não há dharma significa não há doutrina
Sri Ram 5.50: Fraternidade a meta principal desde o início
Sri Ram 7.63: não basta compreender fraternidade interna, é importante compreender diferenças de desenvolvimento externo
Sri Ram 13.143: o axioma platônico de adequar funções com capacidades não pode ser ignorado impunemente
Sri Ram 13.144: política demanda as melhores mentes
Sri Ram 13.145: problemas da Índia não podem ser resolvidos sem sábia distribuição do poder político
Sri Ram 13.148: para Besant a Índia não deveria aderir ao fetiche do sufrágio de massa sem qualificações
Sri Ram 14.157: a política envolve o bem-estar de todos, e demanda as melhores mentes com espírito desinteressado
Sri Ram 14.158: soluções dependem de compreensão do poder político, como encontrar os mais capazes é o problema
Sri Ram 15.162: sufrágio de massa sem qualificações é um equívoco
Sri Ram 15.163: longa citação com descrição de um sistema político coerente com o princípio da fraternidade universal
Sri Ram 15.164: Índia deveria desenvolver nova democracia
Sri Ram 17.194: objetivos ST: fraternidade e busca da verdade
Sri Ram 17.196: citação HPB, terceiro objetivo restrito, são dois objetivos gerais e um restrito, poucos tem inclinação

Taimni 3.23: para um grande número de pessoas faz muita diferença a maneira como contatamos suas mentes
Taimni 3.28: Amor, Sabedoria e Felicidade, diferentes aspectos do mesmo estado de consciência
Taimni 16.179: ST visa mudar pensamentos do mundo para viabilizar soluções dos problemas urgentes
Taimni 16.180: para serem úteis na solução dos problemas as ideias devem ser claras, precisas e classificadas
Taimni 16.184: impacto ideias novas confunde homem médio
Taimni 16.185: para muitos faz grande diferença como são contatados: importante ir do conhecido para o desconhecido

Taoísmo 7.74: citação sobre Unidade
Taoísmo 7.88: citação sobre Diversidade

Xintoísmo 7.75: citação sobre Unidade
Xintoísmo 7.89: citação sobre Diversidade


PREFÁCIO

Esta é, por certo, uma obra polêmica – talvez tão polêmica quanto importante. As visões e pontos de vista nela expressados, naturalmente, são de responsabilidade do autor.

Na época em que a obra foi escrita o autor era presidente da Federação Teosófica Mundial de Jovens (FTMJ). Sua esposa era secretária da FTMJ. E ambos participavam do Grupo Harmonia, de Porto Alegre, que era um grupo da Sociedade Teosófica e filiado à FTMJ.

A FTMJ como uma organização estava comprometida, tão somente, com os objetivos da Sociedade Teosófica, com sede internacional em Adyar, um bairro da cidade de Madras (agora chamada Chennai), no sul da Índia. Assim, o único objetivo da FTMJ era tentar cativar a atenção da juventude pensante do mundo em relação à importância dos três objetivos da ST, bem como tentar aproximar os jovens de sua realização prática.

Os principais dirigentes da FTMJ, desde 1978 até a data da edição original da obra (1994), pertenciam ao Grupo Harmonia, existindo, portanto, uma estreita ligação entre esse Grupo e a FTMJ. E durante todo o tempo em que a obra foi escrita os participantes do Grupo Harmonia discutiam os seus capítulos e, assim, muito auxiliaram o autor. As falhas existentes, é claro, são responsabilidade exclusiva do autor.

Quando o autor e os então dirigentes da FTMJ sentiram que aproximava-se o momento de passar o comando da FTMJ para outros trabalhadores, julgaram ser aquele um momento oportuno para oferecer uma contribuição especial, como coroamento de um trabalho de mais de 16 anos à frente da FTMJ. Com esse intuito, e tendo em vista as sofríveis condições da Soc. Teosófica em geral, decidiram escrever esta obra, como uma colaboração ao difícil e importantíssimo trabalho para o qual foi criada a Soc. Teosófica.

Ao encerrar esse pequeno prefácio gostaríamos de expressar a nossa grande satisfação em oferecer ao público da Internet esta obra. Sentimos que ela que poderá ser importante para o futuro da Sociedade Teosófica como um todo, devido ao seu conteúdo único.

Somente a coletânea de citações, algumas das quais importantíssimas e nunca citadas ou comentadas em qualquer outra obra de nosso conhecimento, organizadas em um índice por autor e localização, e com uma síntese do seu conteúdo, o que facilita extraordinariamente a sua utilização em outros trabalhos, já mais do que justificariam a sua publicação. E, no entanto, há muito mais dentro dela. Há, por exemplo, uma análise e uma explicação acerca dos objetivos e das metas da Soc. Teosófica que parecem ser de extraordinário valor. Mas isso, é claro, cabe ao leitor avaliar.

Fraternalmente expressamos votos de que esta obra possa ser de real utilidade para a realização dos propósitos originais que inspiraram a fundação da Sociedade Teosófica.

Brasília, 2009.


I – INTRODUÇÃO

3 – “Seria algo insensato, em si mesmo contraditório, estimar poder ser realizado o que até aqui não se conseguiu fazer, salvo se se fizer uso de procedimentos ainda não tentados.” (Francis Bacon, Novum Organum, p. 20)

Este livro está baseado em um texto anterior com o título de Os Três Objetivos da ST, que foi distribuído como uma apostila durante o Congresso Mundial da Soc. Teosófica, realizado em Brasília em julho de 1993, o qual foi a base da edição original dessa obra em 1994.

O autor apreciaria que os leitores apresentassem suas críticas em relação ao texto, pelas quais desde já expressa seus sinceros agradecimentos. As críticas podem ser enviadas para o endereço asisson@terra.com.br

Esta obra tem por objetivo apresentar uma visão a respeito das ideias mestras que norteiam a Sociedade Teosófica, isto é, a respeito da Teosofia e da Lei da Fraternidade Universal da Humanidade, e também uma interpretação dos três grandes objetivos da ST, delas derivados.

A Tese Central da Obra

A tese central que procuraremos demonstrar ao longo deste trabalho é simples. Essa tese é que dependendo da interpretação que seja dada a esses conceitos fundamentais, bem como aos três objetivos da Soc. Teosófica deles derivados, podem resultar diferentes estratégias gerais para os trabalhos da ST. Esses diferentes “planos gerais” tanto podem ter como consequência um imenso benefício para a humanidade (glória da ST), quanto a paralisação do progresso dessa organização, com poucos benefícios para a humanidade, ou mesmo com prejuízos para a mesma (fracasso da ST).

Além disso, procuraremos mostrar que essa não é uma questão meramente teórica ou especulativa, mas sim uma questão que diz respeito a algo que está acontecendo na prática. Isto é, que a Soc. Teosófica tem tido, de fato, o seu progresso em grande medida paralisado por uma má interpretação generalizada dos seus objetivos, como podemos ler na afirmação de um dos Sábios que inspiraram a sua fundação, citada na página de rosto.

O Plano Geral da Obra

O texto inicia situando algumas das circunstâncias que marcaram a fundação dessa organização, com destaque para a influência dos Sábios espiritualmente Iluminados que, segundo os fundadores, inspiraram a criação da Soc. Teosófica.

Dentro dessas circunstâncias, examina-se como surgiu a denominação “Sociedade Teosófica, do mesmo modo que o significado da palavraTeosofia e a relação dessa com o lema da Sociedade – “Não há Dharma superior à Verdade”.

A seguir examina-se extensamente as relações existentes entre a Teosofia e a lei da Fraternidade Universal da Humanidade, e entre essas e os objetivos da Soc. Teosófica. Nessa análise é dada ênfase especial para o primeiro objetivo da ST. Como esse texto poderá ser lido por pessoas que pouco conhecem a ST, cabe mencionarmos, desde logo, que os objetivos da ST são:

I – Formar um núcleo da Fraternidade Universal da Humanidade, sem distinção de raça, credo, sexo, casta ou cor;
II – Encorajar o estudo de Religião Comparada, Filosofia e Ciência; e
III – Investigar as leis inexplicadas da Natureza e os poderes latentes no homem.

A ênfase dada ao primeiro objetivo deve-se ao fato de que, como vemos acima, esse é o objetivo que está mais explicitamente relacionado com a ideia mestra de todo o trabalho da Soc. Teosófica – a Lei da Fraternidade Universal – bem como ao fato de que, segundo procuraremos evidenciar, esse é o objetivo cuja má compreensão é mais generalizada.

Depois, o texto apresenta uma análise da relação dos grandes problemas mundiais com a carência de uma perspectiva intelectual que nos mostre a humanidade como uma Fraternidade Universal, bem como a influência beneficente que poderia ter sobre esses problemas o primeiro objetivo da Soc. Teosófica. Finalmente, o texto apresenta uma análise do significado e da importância do segundo e do terceiro objetivos dentro do trabalho da ST.

O Caráter Experimental da Tese Defendida

Ao longo do texto procuraremos evidenciar as diferenças da interpretação aqui apresentada com aquela que é nessa época dominante na Soc. Teosófica, tanto em termos conceituais, quanto em termos de consequências práticas. Como dissemos, procuraremos demonstrar como de uma apropriada interpretação dessas ideias mestras e dos objetivos da ST podem resultar tanto a glória de uma imensa obra beneficente e regeneradora no mundo, quanto o fracasso de um trabalho muito pouco eficaz e que tende, na verdade, a reproduzir as causas dos grandes problemas. Procuraremos mostrar também que a interpretação aqui apresentada parece estar em sintonia com os propósitos originais dos Sábios Iluminados que inspiraram a fundação da ST.

Em vista dos propósitos elevados dessa obra, parece necessário enfatizar, desde o início, que ela é apresentada com um CARÁTER EXPERIMENTAL, e que deve ser julgada unicamente pelos seus próprios méritos internos, independente de qualquer autoridade externa, mesmo aquela dos ilustres autores das várias citações apresentadas. Ou seja, muito embora os autores estejam seriamente convencidos da veracidade e utilidade de suas teses, sempre é bom lembrar que TER CONVICÇÃO É DIFERENTE DE TER CERTEZA.

Uma vez que este trabalho apresenta uma visão não muito comum a respeito da Teosofia, da lei Fraternidade Universal e dos objetivos da Soc. Teosófica, também é oportuno enfatizar que ele não deve ser visto como representante do pensamento da maioria dos membros da ST nesse momento e, menos ainda, como uma visão oficial. O trabalho é apresentado como uma contribuição ao entendimento de uma organização cujos elevados objetivos não são de fácil compreensão para a maioria das pessoas, nem mesmo para os seus membros e dirigentes, conforme deverá ficar claro ao longo do texto.

Com isso em mente, passemos ao exame da fundação da Soc. Teosófica e da influência dos Sábios Iluminados que inspiraram a sua criação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *